"C_zi22GKWWbzY": { "on": "click", "selector": "CSS_SELECTOR", "vars": { "event_name": "conversion", "send_to": ["AW-673607602/zRj4CIePi98BELLfmcEC"] } }

Notícias

Mantenha-se atualizado
Anterior
Próxima

Volta às Aulas é também momento de cuidar da saúde ocular

04/02/2020

Depois de curtir o verão e aproveitar as férias escolares, chegou o momento de retornar às atividades. O período é também ideal para um check-up oftalmológico, visto que cerca de 30% das crianças em idade escolar no Brasil apresentam problemas de visão, enquanto 10% dos brasileiros de sete a dez anos precisam usar óculos, segundo dados do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

Logo depois do nascimento, a criança é submetida ao exame chamado “Teste do Olhinho”, realizado ainda na maternidade. Trata-se de uma triagem obrigatória para detecção de doenças como catarata, retinoblastoma ou até erros refrativos (miopia e hipermetropia) de grau muito elevados. O desenvolvimento dessas doenças, se não diagnosticadas e tratadas, pode afetar o aprendizado de muitas crianças e jovens. “O desinteresse pelas aulas e a dificuldade de aprendizado podem estar associados à dificuldade de enxergar, que leva a criança a perder o interesse em estudar e socializar, comprometendo o seu desenvolvimento. Para evitar isso, é importante levar os filhos para um exame oftalmológico no início da alfabetização e, depois, fazer um acompanhamento anualmente”, explica a Dra. Ana Tavares, do DayHORC.

As doenças mais comuns na infância são: ametropias (altos graus de miopia, astigmatismo e hipermetropia), anisometropias (diferença de grau entre os olhos), estrabismo (“olho torto”), ambliopia (“olho preguiçoso”) e conjuntivites alérgicas. Sintomas como embaçamento, dores de cabeça e cansaço visual podem ser corrigidos facilmente com acompanhamento oftalmológico e o uso dos óculos de grau.